SOBRE O LABORATÓRIO

LABIRINTO – Laboratório de Estudos Socioantropológicos sobre Tecnologias da Vida

Labirinto é um laboratório para experimentações etnográficas, socioantropológicas e inter/multi/pós-disciplinares sobre a temática da “vida” em suas diversas e múltiplas acepções, incluindo suas intersecções com as tecnociências contemporâneas. Reúne pesquisadores de diversas áreas de formação, sobretudo ciênciais sociais e comunicação, em torno das diversas linhas e temáticas de pesquisa que o compõem: corpo, hormônios e técnicas do corpo; cultura científica e sociedade; informação, comunicação, tecnologia e sociedade; modos de conhecimento e suas expressões; divulgação científica em podcast sobre Antropologia no Brasil.

Coordenadora

Daniela Tonelli Manica

 

Linhas de Pesquisa

 

Corpo, hormônios e técnicas do corpo

► Veja mais

Essa linha de pesquisa tem como objetivo pensar diferentes agenciamentos de fluidos e substâncias corporais, como os hormônios sexuais e o sangue menstrual. Seu universo empírico engloba pesquisas socioantropológicas sobre: hormônios sintéticos e suas tecnologias, inclusive contraceptivas; técnicas corporais que envolvem o corpo e fluidos corporais (com enfoque privilegiado sobre seus aspectos reprodutivos, como parto/placenta, amamentação/leite, sêmen, embriões, mas sobretudo o sangue menstrual), a utilização de fluidos e substâncias corporais em pesquisas científicas, manifestações artísticas e práticas religiosas.

 

 

Cultura Científica e Sociedade

► Veja mais

Vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Divulgação Científica e Cultural, essa linha de pesquisa reúne estudos sobre os fenômenos contemporâneos ligados à cultura em geral e à cultura científica em particular, propondo análises sobre a divulgação de manifestações culturais e no jornalismo científico que contribuam para a compreensão, entendimento e explicação da dinâmica das relações entre culturas, ciências, tecnologias, inovação e sociedade.

Abarca, desse modo, análises sobre a produção e circulação das ciências em instituições de ensino e pesquisa, revistas, jornais, museus, sites institucionais, blogs, feiras de ciências, observando a relação e o diálogo entre mídia e educação, bem como no ensino das ciências e na formação de professores. Objetiva mapear e analisar discursos, representações e significações e seus impactos culturais, sociais e políticos. Propõe, também, a produção e desenvolvimento de conteúdos jornalísticos e de divulgação das ciências nos mais diversos veículos e suportes, não apenas como meios de comunicação, mas como espaços de experimentação da escrita, do pensamento e da formação crítica e cidadã no processo educativo do uso das mídias na educação formal e não formal.

 

 

Informação, Comunicação, Tecnologia e Sociedade

► Veja mais

Vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Divulgação Científica e Cultural, essa linha de pesquisa volta-se à produção de estudos que visam a compreensão crítica, analítica e reflexiva dos processos de produção e consolidação das tecnologias e das ciências na contemporaneidade. A partir de referenciais das ciências sociais e da comunicação, esta linha de pesquisa considera como campo fundamental de investigação as transformações sociais, políticas, e culturais em conexão com as tecnologias e as ciências. Os processos de divulgação ou comunicação das ciências e tecnologias são ampliados ou deslocados na medida em que se reconhecem como válidas diferentes produções de conhecimento e de tecnologia. São temas recorrentes de pesquisa nesta linha: tecnociência; tecnologias de informação e de comunicação; internet, redes sociais e cultura digital; comunicação, ciência e capitalismo; gênero, corpo, raça; movimentos sociais.

 

 

Modos de Conhecimento e suas Expressões

► Veja mais

Vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, essa linha de pesquisa tem como objetivo a invenção teórica e a experimentação metodológica, promovendo pesquisas não disciplinares com práticas e experiências que compõem diferentes modos de conhecimento; procedimentos, técnicas, linguagens e materiais envolvidos em seus modos de expressão ou, em sentido amplo, suas grafias. O Labirinto desenvolve principalmente o eixo temático vinculado aos estudos socioantropológicos sobre as (tecno)ciências, incorporando pesquisas que tenham como enfoque os agenciamentos entre as ciências contemporâneas, suas áreas e temáticas diversas (tecnologias, comunicação, corpo, saúde, ambiente). Problematiza os paradigmas de desenvolvimento e inovação tecnológica no contexto do capitalismo, bem como as práticas sociais diversas que (re)produzem desigualdades sociais em articulação com o Estado e o mercado. As proposições teóricas e políticas se inspiram em práticas de produção de um conhecimento situado e comprometido com a descolonização do pensamento e das formas de agir e existir no mundo.

 

 

Divulgação Científica em podcast sobre Antropologia no Brasil

► Veja mais

Dentre as três áreas das Ciências Sociais, a Antropologia talvez tenha o nome mais exótico e mais desconhecido, à primeira vista. Na mídia há mais repercussão sobre as áreas ditas “duras”, enquanto nas colunas e seções dedicadas à “ciência”, raramente figuram resultados de pesquisas humanísticas. Os blogs têm funcionado como uma forma estratégica de divulgação científica e, mais recentemente, os podcasts têm se apresentado como um novo e promissor formato.. Um podcast tem o potencial de explicar, de modo mais claro e informal, sobre os temas e metodologias dessa ciência; pode ser bem aproveitado nos cenários de docência, atividades pedagógicas e formação de novos profissionais da área; e ainda se transformar em mais uma habilidade para o mercado de trabalho. Esse projeto é vinculado ao Mundaréu, podcast de Antropologia, que visa contribuir para um entendimento mais heterogêneo e amplo do que seja “ciência”, contando histórias sobre essa área ainda pouco conhecida.