Labirínticos

Como é difícil nomear um laboratório! Sigla sonora, palavras-conceitos que representem, sentidos que se alinhavam. Chegamos em “Labirinto” por sugestão do Kris, evocando os labirintos de Hélio Oiticica, mas apostando coletivamente na polissemia do termo. E talvez também nos afetos mobilizados nesse momento da pesquisa, e do Brasil, e da pesquisa no Brasil.

Em que você pensa quando ouve essa palavra, Labirinto? Para mim, além do filme com David Bowie, evoca uma ideia de percurso, um caminho longo com muitos becos sem saída, ciladas, desencontros. Mas que tem saída. Talvez a imagem recorrente de que o labirinto tem apenas uma saída certa seja um dos seus pontos fracos. Pois há sempre várias, é claro. E se não se tratar de sair do labirinto, e sim de se deixar perder, de percorrer, penetrar?

 

 

A pesquisa é um processo labiríntico. Pelo menos uma boa pesquisa, que se começa sem se saber como vai acabar. Um processo de encontros e desencontros com o mundo, com textos, pessoas, ideias. Descaminhos. Retornos, recomeços, invenções, experimentações, de arranjos narrativos diversos.

A pandemia é um processo labiríntico. Logo nos seus primeiros meses, fazer labirintos tornou-se uma febre aqui em casa. Uma saída criativa para a contenção do isolamento. Todos os dias, os meninos faziam um labirinto novo para brincar. Na tentativa de reduzir o tempo de tela e jogos, o labirinto era uma planificação em papel, grafite e 2D de desafios que as crianças imaginavam. Enfrentar inimigos, coletar ferramentas e moedas, ultrapassar passagens difíceis, ser “trollado” (mas conseguir rir disso e continuar), chegar ao final sem perder todas as vidas. Juntar as moedas suficientes para conquistar o prêmio final. Um violão, um skate, um controle remoto universal capaz de abrir várias portas. E permitir adentrar outros labirintos.

Que o nosso laboratório Labirinto siga sendo sempre um espaço no qual cultivamos o prazer de estar percorrendo juntes temas e problemas de pesquisa, e um espaço de muitos encontros para pensar a vida, e suas tecnologias.

 

Legenda das imagens: Labirinto 345.0
Créditos das imagens: Henrique M.D.

Leave A Comment